Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis

Ensino

Mestrado em Engenharia de Energias Renovaveis

O Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis visa formar engenheiros capazes de intervir em empreendimentos de energias renováveis, capacitando-os para conceber, projetar, analisar, conduzir e gerir estes empreendimentos, nos seus aspetos técnicos, ambientais e económicos, tanto em ambiente empresarial como de investigação.

As competências proporcionadas dão uma visão alargada da problemática da energia em geral e das renováveis em particular, e uma formação técnica aprofundada de alguns tipos de aproveitamentos.

O curso transmite uma visão orientada principalmente (mas não exclusivamente) para a conversão elétrica, com uma preocupação com os aspetos ambientais e económico-legais associados ao aproveitamento de energias renováveis.

O Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis (MEER) entrou em vigor a partir do ano letivo 2016/2017, na sequência das alterações efetuadas ao extinto Mestrado em Energias Renováveis – Conversão Eléctrica e Utilização Sustentáveis (MERCEUS), que funcionou de 2008/2009 a 2015/16.

O MEER é da responsabilidade do Departamento de Engenharia Eletrotécnica (DEE), em colaboração com o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA), o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) e o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa (DCTB).

O MEER é lecionado em português. Contudo, alguns docentes poderão, por sua iniciativa, usar o inglês em parte das aulas, ou em acompanhamento tutorial, para benefício de estudantes estrangeiros.

Informações mais detalhadas sobe este mestrado podem ser obtidas no Regulamento do MEER.

Comissão Científica do MEER

 

Comissão Pedagógica do MEER

 

Saídas profissionais

Os Mestres em Engenharia de Energias Renováveis estarão aptos a trabalhar em Empresas de Serviços Energéticos, exercendo atividade como consultores de energias renováveis (efetuando auditorias e análises de eficiência energética e colaborando na avaliação de impacto ambiental), e como projetistas de aproveitamentos solares.

Poderão ainda exercer funções profissionais no sector industrial, no sector de serviços, na administração central, regional ou local, entre outros, e ainda desempenhar tarefas de investigação e desenvolvimento (I&D) em sectores como instituições de ensino superior, laboratórios ou indústrias.